Gamificação: Como Aplicar na sua Estratégia de Marketing

gamificacao-na-estrategia-de-marketing

A adoção da gamificação no marketing vem abrindo um universo de possibilidades para as empresas. Mais do que uma experiência lúdica, essa metodologia inovadora pode contribuir para fortalecer o relacionamento com o público-alvo de diferentes formas, inclusive para aumentar a geração de leads

As plataformas gamificadas podem servir como atrativos para que as pessoas entrem em contato com a marca, tudo por meio de uma atividade engajada e divertida, em vez de algo corriqueiro e já esperado. Essas ferramentas podem somar as estratégias de marketing — de eventos presenciais às ações digitais —, oferecendo uma alternativa para enriquecer os trabalhos do departamento. 

Assim, é possível inovar em diversas táticas, como funil de vendas, contribuindo para aumentar as fontes de captação de leads e para fortalecer a imagem da organização. Mas, esse é só um exemplo do que investir em gamificação pode fazer pelas ações de um negócio. 

Resumo:

Gamificação no Marketing: Uma Parceria Estratégica

Os avanços tecnológicos têm um papel fundamental nas estratégias de marketing e vendas. Nenhuma empresa — independentemente do seu porte ou segmento de mercado — pode ignorar o poder da internet para atrair, engajar e fidelizar o público. E, de tantas opções de ferramentas, a gamificação se mostra uma das mais inovadoras e surpreendentes para esse setor. 

No entanto, muitos negócios ainda não conhecem o potencial de aplicar essa estratégia nas suas ações de divulgação e comunicação, deixando assim passar inúmeras oportunidades. E, em um cenário em que a indústria de games vem dominando o mercado e coração de milhões, essa negligência pode ter impactos significativos na competitividade do negócio. 

Mas, antes de mais nada, é fundamental entender o que é e porque a gamificação é uma ferramenta tão interessante para as estratégias de marketing e vendas de uma empresa.

Afinal, O Que É Gamificação?

Apesar de não ser uma metodologia nova, muitos ainda desconhecem o que é e como funciona essa ferramenta. Em resumo, gamificação é uma estratégia que usa elementos, design e lógica dos jogos para motivar as pessoas a realizar ações que não se resumem ao entretenimento, mas sim que gerem benefícios positivos em suas vidas e rotina. 

Mais do que uma atividade lúdica, uma dinâmica gamificada pode incentivar alguém a realizar uma tarefa e até mesmo a mudar certos comportamentos.

Essa metodologia foi desenvolvida levando em consideração teorias de campos como psicologia, neurociência, motivação, aprendizado, antropologia e sociologia.

Reunindo estudos e conhecimentos voltados a usar determinados estímulos para despertar o engajamento do público-alvo de uma ação. 

Ou seja, não é apenas um jogo ou atividade divertida, feita para socializar e passar o tempo, a gamificação é uma dinâmica que estimula as pessoas a cumprirem determinadas tarefas que as levarão a terem impactos positivos e concretos em suas vidas. 

Nesse sentido, não é à toa que essa estratégia vem atraindo a atenção de áreas como saúde, segurança, política, educação, negócios e marketing. Organizações desses segmentos estão adotando plataformas gamificadas que foram desenvolvidas levando em consideração suas necessidades específicas para atrair, reter e engajar seu público-alvo.

Assim, oferecem uma experiência imersiva e interativa e, consequentemente, marcante para as pessoas-chave do funcionamento de seus negócios. 

Um sistema de pontuação e ranking com os amigos pode ser usado para estimular alguém a praticar exercícios; já um storytelling, ou seja, uma história bem desenvolvida e engajadora pode contribuir para a imersão de um estudante em um tema específico de suas aulas; e uma atividade gamificada é capaz de atrair a atenção de um número relevante de pessoas para alimentar a geração de leads de uma empresa. 

Esses são apenas alguns exemplos de como a gamificação é uma estratégia efetiva em diversos contextos. No caso dos negócios, é possível adotá-la em atividades como recrutamento e seleção, onboarding de novos funcionários, treinamento corporativo, comunicação interna, nas tarefas cotidianas dos colaboradores e nas ações de marketing. 

E nessa última estratégia há um grande campo a ser explorado por empresas de todos os portes e segmentos de mercado. 

O Potencial da Gamificação no Marketing

A verdade é essa: os jogos atraem uma grande quantidade de pessoas. De algo considerado “infantil” ou “bobagem”, eles se tornaram uma indústria poderosa no mundo inteiro.

O estudo da TechNET, divulgado em 2021 pelo portal Canaltech, afirmou que o setor de games está avaliado em US $163,1 bilhões, sendo responsável por mais da metade do valor da indústria de entretenimento — maior do que o mercado de cinema e música somados. A pesquisa ainda aponta que são mais de 2,5 bilhões de jogadores no mundo inteiro. Ou seja, um público considerável. 

No Brasil, os números também são relevantes: a Pesquisa Game Brasil 2021 (desenvolvida pela Blend New Research, ESPM, Go Games e Sioux Group) traz um panorama do cenário dessa indústria e do comportamento dos jogadores brasileiros. Os números são claros:

  • 72% dos brasileiros têm o costume de jogar jogos eletrônicos.

Desses respondentes, as faixas etárias com mais jogadores são de pessoas em idade produtiva: 

  • 10,3% de 16 a 19 anos;
  • 22,5% de 20 a 24 anos;
  • 18,6% de 25 a 29 anos;
  • 16,7% de 30 a 34 anos;
  • 12,9% de 35 a 39 anos;
  • 12,2% de 40 a 49 anos;
  • 6,8% mais de 50 anos.

E, ao contrário da percepção comum, a maioria do público é composto de mulheres (51,5%), enquanto os homens são minoria (48,5%). 

Algo que a pesquisa deixa claro é que para essas pessoas os jogos não são algo banal:

  • 45,6% todos os dias;
  • 20,5% entre 3 e 6 dias na semana;
  • 14,4% pelo menos uma vez na semana;
  • 7,3% menos de uma vez na semana;
  • 9,9% não jogo online;
  • 2,3% não sei.

Nesse grupo também há preferência de plataforma:

  • 41,6% smartphone;
  • 25,8% videogames/console;
  • 18,3% computador;
  • 9,2% notebook;
  • 2,2% tablet;
  • 2,9% smart tv/portáteis/outros.

Mas, no fim, o que todos esses números significam? Um grande potencial a ser explorado pelas empresas que podem adotar a gamificação em suas estratégias de marketing para encantar esse grupo tão grande e diverso.

Mulheres, homens, pessoas em idade produtiva, que adoram jogos de celulares: quantas campanhas podem ser realizadas a este público, atraindo-os para seu negócio e aumentando as vendas?

A preferência pelos smartphones também mostra como adotar uma estratégia de gamificação é possível para negócios de todos os tipos e segmentos. Afinal, não é preciso ter uma parceria com gigantes responsáveis pelos consoles de games sofisticados, mas sim com uma organização especializada em jogos mais simples de celular. 

Por ser um método flexível, são várias as ações que podem ser feitas da união da gamificação com essa área: 

Gamificação em eventos

Essa metodologia pode fazer a diferença das pequenas às maiores ações de marketing. A gamificação pode ser adotada para tornar alguns momentos de eventos da empresa mais participativos e marcantes, ajudando a engajar o público e a obter melhores respostas nestas situações. 

Em vez de apenas apostar em palestras e conversas — que podem se tornar monótonas e, assim, a mensagem não ser absorvida de forma adequada — é possível adotar essa estratégia para quebrar o gelo, fortalecer determinadas ideias em dinâmicas mais práticas e ativas, além de tornar os eventos mais inesquecíveis. 

Imagine usar uma atividade gamificada para fortalecer os valores organizacionais e as causas que a companhia defende para um público variado: não seria essa um jeito diferenciado de se posicionar diante da sociedade?

São inúmeras as maneiras em que essa estratégia pode ser adotada em um evento, seja pequeno ou grande. 

Gamificação na fidelização dos clientes

Outra estratégia que pode ser fortalecida com o uso da gamificação são as ações de fidelização dos clientes. É possível oferecer uma atividade gamificada para aumentar o laço entre os compradores e empresa, criando uma dinâmica que seja benéfica para todos os envolvidos. 

É fácil encontrar exemplos de ações como essas: um dos mais conhecidos são as empresas de artigos esportivos que investem em aplicativos gamificados para estimular a prática de atividades físicas aos seus compradores — oferecendo assim uma experiência positiva para o público e ainda sim ligada aos objetivos e valores da marca. 

Dessa forma, é possível se aproximar ainda mais dos clientes e lhes proporcionar uma experiência diferenciada. 

Lançamento de produtos/serviços

Oferecer uma nova solução é sempre algo desafiador. Convencer o público de que seu serviço ou produto merecem atenção e irá sanar suas necessidades é um trabalho árduo, mas, se bem feito, pode alavancar as vendas da empresa.

No entanto, essa situação pode ser um pouco maçante para os clientes em potencial, ainda mais quando seu dia a dia é cercado por propagandas o tempo todo.

Adotar a gamificação no lançamento de novas soluções pode ser uma forma de romper essa barreira dos anúncios, atraindo olhares que teriam se desviado ou ignorado ações de divulgação tradicionais.

A gamificação, assim, se torna uma “isca” para as pessoas conhecerem o produto ou serviço novos da empresa, além de oferecer uma experiência mais marcante e positiva com a marca. 

Geração de leads

A ideia de usar a gamificação como “isca” também funciona na estratégia de funil de vendas. É necessário atrair uma grande quantidade de leads antes de trabalhá-los e nutrí-los até que os mais preparados cheguem à etapa final — e adquiram os produtos, serviços e soluções da empresa.

Como os jogos são tão populares, ainda mais quando gratuitos, oferecer uma atividade gamificada pode ser uma excelente estratégia para atrair mais leads ao proporcionar um conteúdo grátis e divertido. É possível desenvolver uma dinâmica específica para o perfil do público que se deseja atrair — jovens, mulheres, em determinada faixa etária, heavy user de smartphones, entre tantas opções. 

Todas essas ideias podem ajudar a empresa a alcançar novos grupos e a fortalecer a sua relação com quem já conhece a organização. No caso das estratégias digitais, a parceria com a gamificação se torna ainda mais vantajosa ao permitir que se desenvolva soluções eletrônicas para bombar o trabalho de marketing que já vem sendo feito.

Assim, quando se fala em geração de leads e funil de vendas, a gamificação se torna uma ferramenta inovadora e estratégica que pode agregar para o sucesso dessas metodologias.

Como Usar a Gamificação na Geração de Leads? 

Todos os profissionais de marketing e vendas sabem que não é fácil gerar leads e alimentar o funil de vendas. É importante descobrir novas estratégias e formas de atrair as pessoas, oferecendo-as conteúdos interessantes e inovadores. 

A gamificação pode ser uma excelente opção nesse sentido. Essa metodologia proporciona uma experiência imersiva e interativa ao público, usando elementos já familiares para despertar a atenção para algo diferenciado.

Em vez de oferecer materiais estáticos e tradicionais, os leads vão participar de uma dinâmica divertida e participativa — estimulando uma postura ativa com a empresa. 

Imagine ter uma parceira para desenvolver um jogo com o objetivo de alavancar determinado conteúdo: qual a probabilidade dessa ação gerar mais buzz e atenção dos clientes em potencial do que fazer apenas um post de blog/redes sociais ou um anúncio (on e offline), ainda mais diante de um mundo cheio de estímulos disputando o olhar do público? E quais são as chances de quem entrar em contato com os materiais gamificados acabar se engajando com a marca? 

Somada às outras estratégias de geração de leads, a gamificação contribui para inovar na dinâmica com o público  — dando a eles uma experiência diferente, amigável e engajadora. Além disso, ela também pode ser uma estratégia que a concorrência não está explorando, sendo um espaço propício para a empresa se diferenciar. 

No entanto, assim como qualquer estratégia, a gamificação demanda planejamento, investimento e esforços para ser adotada da melhor forma e gerar os impactos positivos desejados pela organização.

Caso contrário, pode ocorrer de ser desenvolvido uma dinâmica que não atraia o público — por não contemplar os desejos, expectativas ou preferências da persona, além de outros motivos —, não seja tão engajadora assim e, consequentemente, não capte a quantidade esperada de contatos. 

Nesse sentido, é importante contar com profissionais para desenvolver e adotar a gamificação em uma empresa, ainda mais com objetivos específicos como fortalecer o marketing e a geração de leads. Felizmente, existem empresas especializadas capazes de produzir plataformas personalizadas, focando nas necessidades que o negócio parceiro tem. 

Além de entender as questões técnicas da criação dos sistemas, essas parceiras entendem como atingir o público-alvo de suas soluções, tornando as plataformas engajadoras.

Conclusão

Investir em estratégias para gerar leads é fundamental para atrair novos clientes e aumentar as vendas. E quando esses métodos são inovadores — como a gamificação — se tem uma ótima forma de se diferenciar no mercado e despertar a atenção das pessoas em meio a tantos estímulos no ambiente digital. 

No entanto, para que os resultados sejam alcançados, é importante contar com parceiros para desenvolver plataformas que encantem o público e gerem uma imagem positiva com a marca. Caso contrário, a empresa pode acabar desperdiçando seus recursos em vez de fortalecer suas vendas com uma estratégia assertiva.

Leave a Reply

Your email address will not be published.